E se do nada uma estranha sentasse no seu colo?

Postado por: Aires - 27/fev/2015

 
O gordinho não acreditou que isso aconteceu com ele UHAHUSHUASUAHSASUH

Greve dos caminhoneiros

Postado por: Aires - 27/fev/2015

cerveja
 
Tem que deixar passar o caminhão da cerveja!!

Como burlar os radares do Detran

Postado por: Aires - 26/fev/2015

 
“Eles deram esse furo, a gente aproveita…“

Mulher pede pensão a ex milionário e juiz sugere: ‘Arrume um emprego’

Postado por: Aires - 26/fev/2015

10653344_836215186410979_1882258867496826246_n

 

LONDRES – A ex-mulher de um milionário foi orientada por um juiz a conseguir um emprego. Tracey Wright, de 51 anos, que atualmente mora em uma casa avaliada ao equivalente a R$ 2 milhões em Newmarket, no Reino Unido, recebeu a notícia de que não tem mais direito a viver do dinheiro de seu ex-marido.
 

A instrutora de equitação e mãe de dois filhos optou por não procurar trabalho remunerado quando se separou do cirurgião equino Ian Wright, há sete anos, após 11 anos de casamento.
 

Pais divorciados com crianças com mais de 7 anos devem, pelo menos, tentar encontrar um emprego em tempo parcial, disse o juiz Pitchford, na Corte de Apelação. A filha mais nova, que vive com Tracey, tem 10 anos, e a mais velha estuda num colégio interno.
 

Em 2008, a casa de campo do casal, de sete quartos e 16 hectares, foi vendida por mais de R$ 5 milhões e os lucros foram divididos.
 

O ex-marido de Tracey, de 59 anos, administra um hospital de cavalos em Newmarket que já realizou cirurgias em antigos vencedores de competições importantes. Ele e a ex-mulher se separaram em 2006, antes de se divorciar.
 

Tracey continua mantendo estábulos para seu cavalo e pôneis de sua filha e recebe R$ 333 mil para as despesas anuais com o colégio da filha do ex-marido.
 

Os pagamentos feitos por Wright a Tracey, que alega estar preocupada em não ser capaz de arcar com as despesas, vão reduzir ao longo de cinco anos até serem interrompidos.

 

Mantendo uma decisão anterior do juiz Lynn Roberts no ano passado, Pitchford disse que Tracey “apenas deve ir em frente” e encontrar um trabalho como “um grande número de outras mulheres com as crianças”.
 

Ele acrescentou que nunca houve um entendimento ou orientação de que o ex-marido deveria fornecer a ela uma renda para toda a vida, e negou provimento ao seu recurso contestando um corte nos pagamentos.
 

Fone: O Globo

O maior fdp do mundo! kkkkkkkkkkkk

Postado por: Aires - 25/fev/2015

 
Acho que os amigos desse taxista até hoje tão zuando ele! HUSUHASUHAUHA

Tente não se emocionar, conheça toda a história do Opala

Postado por: Aires - 25/fev/2015

 
Sim, é realmente Emocionante!

Entenda a Friendzone em um vídeo de 49 segundos

Postado por: Aires - 25/fev/2015

 
É a realidade, amigos.

Significado de Machismo

Postado por: Aires - 24/fev/2015

significado-de-machismo-oscar

 

 

Essa mulher é pra casar!

Homossexuais aidéticos pregam técnicas de transmissão do HIV de propósito

Postado por: Aires - 24/fev/2015

imagem-hiv

 

RIO – Denominado de “Clube do Carimbo”, um grupo de homossexuais soropositivos se reúne em sites para passar dicas de como transmitir Aids para outras pessoas. A premissa é que se todos tiverem a doença, ela não será mais um problema social. Junto com isso, a prática do bareback, o sexo sem camisinha, misturado com uma dita sensação de aventura faz com que as “carimbadas” aconteçam mais e já se tornem um problema de saúde pública.

 

Recentemente, um blog que pregava essa prática foi retirado do ar. O “Novinho Bareback” teria sido o local onde foi criado o dito clube. A página trazia fotos e vídeos que mostravam relações sexuais sem preservativo e trazia dicas para a transmissão da doença sem a anuência do parceiro sexual. Mesmo que desativado, as instruções se disseminaram como um vírus pela Internet. Em um dos sites visitado pelo GLOBO, o autor enumera passo a passo de como criar mecanismos para “carimbar” as novas vítimas. Autodenominados de “vitaminados”, os portadores do vírus que pregam a prática on-line também sugerem as melhores épocas do ano, como as férias, para conquistar mais vítimas.
 

Neste primeiro site visitado pelo GLOBO, após enumerar cinco passos com técnicas para transmitir a doença (com ou sem preservativo), o dono da página afirma que:
 

“Este texto é só uma ideia. Comentado nacionalmente e internacionalmente, um fato que ocorre e que não quer dizer que eu faça isso. Praticar sexo bareback (sem camisinha) não é considerado crime, o que é crime segundo os artigos 130, 131 e 132 do código penal brasileiro, é uma pessoa transmitir doenças sexualmente transmissíveis para outra (com provas concretas), a pena para esse crime é de 3 meses a um ano de cadeia”.
 

Entretanto, o Código Penal brasileiro deixa claro que a simples exposição, tal como enaltecida na postagem, já é crime.
 

“Expor a vida ou a saúde de outrem a perigo direto e iminente: Pena – detenção, de três meses a um ano, se o fato não constitui crime mais grave”, afirma o artigo 132 da legislação.
 

Em outro site visitado, os praticantes chegam a marcar encontros em casas noturnas para sexo em grupo de forma que alguns possuem a doença e outros não. Os que não possuem são divididos entre os que sabem que correm o risco de transmissão, chamados de bug-chasers, e os que não possuem ciência disso. Em comentários de outros usuários do site, as orgias mescladas são chamadas de “roleta russa” do sexo.
 

Segundo o último Boletim Epidemiológico, divulgado pelo Ministério da Saúde, a Aids avança tanto entre homossexuais quanto em heterossexuais. Entretanto, o aumento de infectados entre os gays é bastante superior. Em 2003, eram 4.679 novos casos por ano. Atualmente, são 6.043 soropositivos diagnosticados anualmente.
 

Fonte: O Globo

Uma das mitadas mais violentas do mundo

Postado por: Aires - 24/fev/2015

professor-mito

 

Como eu gostaria de ter presenciado uma mitada violenta dessas!

© 2013 Todos os Direitos Reservados.